A verdade sobre a batata frita

A verdade sobre a batata frita

Outro dia postamos em nosso canal no Youtube um vídeo com o seguinte título:

Batata frita vai acabar te matando um dia.

Mas…coitada da batata frita. Ela não tem culpa nenhuma.

Vamos explicar sobre isso.

Você acha que a batata faz mal?

Lógico que não.

Só que, mais uma vez, a poderosa indústria alimentícia usa dos seus truques pra esconder o que ela não quer dizer.

Então, assista ao vídeo ou, se preferir, continue lendo logo adiante.

 

 

Ou melhor… dizer até que ela diz, mas nas entrelinhas, com letrinhas pequenas, que nem aqueles contratos que você tem preguiça de ler e acaba assinando. Ou então fala da batata nas manchetes, mas da fritura não fala nada, só na matéria, como se fosse uma coisa menos importante.

E todo mundo fica contente.

Então, qual é a verdade sobre a batata frita?

É lógico que não é a batata que faz mal, mas sim a fritura da batata.

E aí todo mundo festeja: a batata frita foi liberada. Ôba, eu adoro. Agora posso comer à vontade.

É lógico, porque o que as pessoas querem é acreditar naquilo que elas querem acreditar, não importa se é verdade ou não, não importa se é a mentira dita de forma disfarçada para você acreditar no que você quer acreditar.

Fritura é uma coisa que faz mal, mas ninguém quer dar bola pra isso, porque todo mundo quer uma desculpa para continuar comendo fritura. Então, ôba, a batata frita tá liberada.

Olha só: óleo vegetal, desses que se vende nos supermercados, faz mal porque ele é parcialmente hidrogenado  pra não ficar rançoso, porque senão não vai durar quase nada nas gôndolas dos supermercados. E com isso na composição dele acaba existindo também a gordura trans, que resulta dessa hidrogenação.

Sabe aquele sorvete gostoso que é bem cremoso? É gostoso, não é mesmo? Mas o que faz ele ficar cremoso é a gordura trans. Mas ninguém quer saber disso, porque ele é gostoso.

Então, vamos repetir uma frase que já dissemos em outros artigos do nosso site e vamos repetir em alguns vídeos: indústria alimentícia não produz saúde, produz sabor. Porque as pessoas só pensam na saúde quando já estão doentes. O que elas querem agora é comer o que elas acham gostoso.

Então, a pobre da batata não tem culpa, quem tem culpa é o óleo. E essas batatas fritas que você compra nas lanchonetes são mais maléficas ainda, porque eles usam o mesmo óleo para fritar várias vezes. E cada vez que eles fritam com o mesmo óleo, o óleo fica mais venenoso ainda.

Porque gordura trans é isso: é veneno.

Felizmente já existem médicos que começam a alertar sobre essas questões, porque, além de se formarem em medicina, eles estudam nutrologia também, porque sabem que alimentação é fundamental pra manter a boa saúde.

Mas é lógico que grande parte das pessoas não acredita. Porque se acreditar vai ter que deixar de comer a deliciosa batata frita, mesmo essas que são feitas com óleo reaproveitado diversas vezes.

Se for na primeira fritura, já faz mal. Imagine depois da segunda, da décima, da vigésima.

Veja bem: não estamos aqui pregando nenhum fanatismo em relação à alimentação, mas se você sabe que uma coisa faz mal, por que vai comer?

Uma vez ou outra, ainda vai. Mas quase todo dia, ou todo dia, como faz muita gente, que substitui até o almoço por um sanduíche com batatas fritas?

E não é conversa mole, não, gente!!! Faz mal mesmo.

Outro dia eu conversei com uma pessoa que me disse que prefere não ir ao médico, porque senão ele vai passar um monte de exames e vai descobrir um monte de doenças. “Então eu prefiro não ir para não ficar nem sabendo”.

Mas o  problema não é nem morrer, o problema é ficar doente. Morrer todo mundo vai morrer mesmo um dia, é inevitável. Mas ninguém precisa ficar doente já com 30, 40 anos, como já tem um monte de gente ficando. Nem ficar chamando a morte à toa, se for possível viver com saúde por mais tempo.

E deixar de ir ao médico não adianta, quando se sabe que a grande maioria das doenças, inclusive o câncer, tem muito mais chances de cura quanto mais cedo a doença for descoberta. E isso, é lógico, significa muito menos sofrimento do que descobrir a doença quando ela já está adiantada.

Então, acreditar ou não acreditar é uma opção sua. Mas a doença evoluir não é uma opção sua. Ela vai evoluir de qualquer jeito, e vai se agravar cada vez mais se você ficar aí, achando que é melhor fazer de conta que ela não existe.

Então, perdoe a batata, ela não tem culpa.

Alternativas: é melhor banha de porco e infinitamente melhor óleo de coco.

É caro? Mas o que é que sai mais caro: o óleo de coco ou ficar doente?

Pois é, a opção é sua.

E a batata não tem nada a ver com isso.

 

Se gostou, compartilhe, por gentileza

Tenha uma vida saudável e garanta sua independência

gmenezes

Website:

Deixe aqui seu comentário